O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Teresina, PI
Terça, 12
Dezembro de 2017

10/10/2017 - 12h40min

Polícia Federal conclui inquérito e incrimina irmãos Batista por operações financeiras

A Polícia Federal entregou nesta segunda-feira (9), ao Ministério Público Federal (MPF), o relatório final da Operação Tendão de Aquiles, que investigou e incriminou Joesley e Wesley Batista pelo uso de informações privilegiadas e a manipulação de mercado por meio das empresas JBS e FB Participações.

Os irmãos já foram indiciados e estão presos desde setembro pela acusação. Segundo a PF, eles se beneficiaram de informações relacionadas ao acordo de colaboração premiada firmado com a Procuradoria Geral da República (PGR) para obter lucro no mercado financeiro.

De acordo com a polícia, o grupo empresarial dos Batista comprou U$ 1 bilhão às vésperas do dia 17 de maio, data que a delação premiada foi divulgada na mídia, e vendeu R$ 327 milhões em ações da JBS durante seis dias do mês de abril, enquanto seus executivos negociavam o acordo com a PGR.

VEJA TUDO SOBRE A DELAÇÃO DA JBS

A JBS confirmou que comprou dólar no mercado futuro horas antes da divulgação da notícia de que seus executivos fizeram delação premiada. O dólar disparou no dia seguinte, subindo mais de 8%, o que resultou em ganhos milionários à empresa.

Os Batista teriam praticado, então, o chamado “insider trading”, que é o uso de informações privilegiadas para lucrar com operações no mercado financeiro. A venda das ações da JBS em abril também evitou um prejuízo de R$ 138 milhões aos irmãos, já que o valor das ações da empresa despencou depois da revelação de que os empresários eram investigados pela polícia.
G1