O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Teresina, PI
Quinta, 24
Maio de 2018

06/03/2018 - 12h28min

Governadores do Nordeste se reúnem em Teresina para debater Segurança Pública

Os nove governadores do Nordeste se encontram, nesta terça-feira (6), a partir das 8h, em Teresina, no Espaço Coco Bambu. O objetivo do evento é discutir a implementação de um plano de segurança comum a todos os estados, bem como o desenvolvimento de políticas públicas para o setor. Todos os chefes de estado da região confirmaram presença no evento, que entre outros pontos, também analisará a criação de um fundo nacional para segurança. A proposta foi apresentada pelo Governo Federal, na última quinta-feira (1º), em reunião com os líderes estaduais de todo o Brasil. Ao término do encontro, uma coletiva de imprensa está agendada, a partir do meio dia.
Na oportunidade, os governadores irão ler a Carta de Teresina, um documento redigido por secretários de Segurança e de Justiça de vários estados, que se reúnem, em Teresina, nesta segunda-feira (5), como parte da agenda do Encontro de Governadores do Nordeste.
O documento irá elencar as prioridades a serem trabalhadas no âmbito da segurança pública. Entre os pontos principais, estão a modernização do sistema penitenciário e o combate integrado às organizações criminosas. Também figuram como prioridades a redução do feminicídio e violência contra a mulher; a diminuição de homicídios dolosos e o combate integrado ao tráfico de drogas, armas e proteção das fronteiras.
A meta é agregar as ações de segurança pública criando um sistema regular de financiamento, permitindo que cada estado, dentro de suas necessidades e planejamento, possa fortalecer o setor, com a aquisição de equipamentos, contratação de pessoal e reforço nas políticas salariais.
“A ideia é trabalhar de maneira coordenada no âmbito estadual, integrando as polícias Militar e Civil, a Federal, a Polícia Rodoviária Federal, e os sistemas penitenciário e judiciário. Além disso, integrar os estados com a União, que também tem a sua parcela de responsabilidade no que tange ao controle das fronteiras, no uso das forças armadas e partilhando a sustentação financeira da segurança”, destaca Merlong Solano, secretário de Governo.