O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Teresina, PI
Terça, 20
Novembro de 2018

18/08/2018 - 08h05min

Coligação de Meirelles pede ao TSE para rejeitar candidatura de Alckmin

Advogados do candidato do MDB argumentam que atas de seis partidos que compõem coligação de Alckmin estão irregulares. Pedido será analisado pelo ministro Tarcísio Vieira.

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin (Foto: Reprodução/TV Bandeirantes)

Coligação de Meirelles constesta a candidatura de Alckmin no TSE

Os advogados da coligação MDB-PHS, cujo candidato à Presidência é Henrique Meirelles, pediram nesta sexta-feira (17) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para rejeitar o registro de candidatura do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

No pedido, a coligação de Meirelles argumenta que as atas de seis partidos que compõem a coligação de Alckmin (PTB, PP, PR, DEM, PRB e SD) estão irregulares porque não exibem expressa concordância com a participação de todos os partidos na coligação.

Ainda no documento enviado ao TSE, a coligação do candidato do MDB pede que, se a coligação de Alckmin não for rejeitada, o tribunal retire os seis partidos do grupo que apoia o tucano.

Caberá ao ministro Tarcísio Vieira analisar o pedido.

Na prática, se o pedido da coligação de Meirelles for atendido pelo TSE, Alckmin ficará com menos tempo de TV.

Cada bloco de propaganda tem tempo total de 12 minutos e 30 segundos e, segundo levantamento de analistas do banco BTG Pactual, os seis partidos questionados somam, juntos, 3 minutos e 42 segundos. Isso porque:

o PTB tem direito a 36 segundos;
o PP tem direito a 53 segundos;
o PR tem dirieto a 48 segundos;
o DEM tem direito a 31 segundos;
o PRB tem direito a 31 segundos;
o SD tem direito a 23 segundos.
Prazo para questionamentos


O edital da candidatura de Alckmin foi publicado pelo TSE no último dia 10 e o prazo para questionamentos serem apresentados acabou nesta sexta (17).

Pelas regras, candidatos, partidos, coligações e o Ministério Público podem contestar as candidaturas em até cinco dias a partir do edital.

Além disso, qualquer cidadão que esteja com direitos políticos válidos pode apresentar "notícia de inelegibilidade", ou seja, informar ao TSE que o candidato está inelegível.

Cabe ao TSE analisar todos os questionamentos a candidaturas de postulantes à Presidência da República.
G1 





17/11/2018 - 20h42min
Brasil A volta da fome

17/11/2018 - 20h35min
O regresso de Levy