O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Teresina, PI
Sexta, 23
Agosto de 2019

05/06/2019 - 09h46min

Assistência Farmacêutica assegura atendimento a pacientes renais

O aposentado Raimundo Brito, 65 anos, de São Pedro do Piauí, vem três vezes por semana a Teresina para fazer hemodiálise numa clínica credenciada ao Sistema Único de Saúde(SUS). No mesmo local, todo mês, ele recebe quatro tipos de medicações para complementar o tratamento contra Insuficiência Renal Crônica (IRC).
“Às vezes, tem falta de uma medicação, que é o do Ferro, mas os outros, eu recebo adequadamente”, relata o paciente.
Ao todo, a Assistência Farmacêutica dispensa 26 tipos de medicações para as patologias como a do seu Raimundo e ainda a Imunosupressão do Transplante Renal. Atualmente, as medicações são fornecidas aos 2.998 pacientes renais cadastrados. O Sacarato de Hidróxido Férrico, a medicação citada pelo aposentado, teve o fornecimento regularizado e já está disponível aos usuários, explica a diretora-geral da farmácia, Wanda Avelino.
“Já recebemos boa parte da medicação somente de um dos fornecedores, o que vai nos garantir a disponibilidade de, ao menos, três meses, tempo em que os demais fornecedores vão nos entregar as demais. Estamos organizando todos os processos de compra para que a entrega aos usuários não haja falta”, assegura a gestora.
Somente este ano, afirma a diretora, foram dispensados 1.041.115 unidades de medicamentos, entre ampolas, cápsulas e comprimidos. Cada paciente recebeu de dois a três tipos de medicações, sendo que as mais dispensadas (Alfaepoetina, Sacarato de Hidróxido Ferroso e Sevelamer) representaram mais de 70% dos atendimentos.
A dispensação ocorre em 20 pontos descentralizados em todo o estado, principalmente em Teresina, em sete unidades: na própria sede da farmácia e em mais seis clínicas; em Picos, em duas clínicas e na farmácia; Floriano, em uma clínica e na farmácia.
Os medicamentos também são entregues nas farmácias descentralizadas em Parnaíba, Piripiri, Campo Maior, Bom Jesus, São Raimundo Nonato, Uruçuí, Oeiras e Corrente.
“Mais de 60% dos pacientes recebem medicações de forma descentralizada, ou seja, diretamente na clínica ou hospital onde realizam hemodiálise, o que proporciona mais conforto a eles”, comenta Wanda, explicando que, nesse caso, o paciente dá entrada naquelas unidades, sem necessidade de ir até à Assistência Farmacêutica.
Autoria: Graciene Nazareno