O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Teresina, PI
Domingo, 24
Setembro de 2017

17/02/2012 - 10h55min

PROPOSTAS DO JORNALISTA TOMAZ TEIXEIRA PARA HUMANIZAR E EMBELEZAR A CIDADE DE TERESINA.

Quem não quer se orgulhar de sua cidade. Quando vejo o Rio Sena embelezando Paris e o Tamisa enchendo Londres de esplendor, começo a imaginar, por que não transformarmos o Rio Poti que fica entre o centro de Teresina e a mais nobre zona habitada da cidade, a Leste norte e sul, num belo projeto turístico onde a criatividade trará lazer para todas as camadas sociais sem distinção, como se estivéssemos numa bela beira mar, como acontece nas capitais praianas. O Rio Poti é o nosso mais fantástico point, só faltam projetos a altura de transformá-lo num belo encontro de lazer e turismo, trazendo vida para a nossa maravilhosa capital.
Trabalhar as margens do Rio Poti, pode ser o começo do embelezamento de Teresina, com seus condomínios fantásticos e torres residenciais que deram nobreza à nossa cidade. Mas, inegavelmente, as margens do Poti, se bem trabalhadas, com certeza vão embelezar e se transformar no mais nobre point de nossa capital. O Rio Poti bem cuidado e planejado para ser o nosso cartão de visitas, vai trazer vida noturna para toda a juventude sem definição de classe, onde todos conviverão, como se vive nas grandes cidades que têm beira mar, onde todos gozam do mesmo privilégio de espaço, sem distinção de classe, com todos se divertindo e curtindo a noite piauiense democrática e socialmente falando.
E como seria essa nova Teresina, depois de trabalhado o Rio Poti com suas margens recebendo projetos inteligentes e dando orgulho aos piauienses? Vejam nossas propostas: 
 
 
 
PROJETO – 01
 
a)    UM GIGANTESCO PARQUE EM FORMA DE ÁREA DE LAZER SEM SIMILAR NO NORDESTE.
b)    – Entre o CFAP e a Ponte da Primavera, ao longo da Avenida Marechal Castelo Branco, ousar, definindo 5 ou 6 módulos, como áreas especiais, de lazer, para receber a criança de 02 a 12 anos, no mais avançado projeto de concentração de crianças do nordeste.
c)     Uma cerca americana com 2 linhas de 20 centímetros de largura em madeira ou concreto, longas, brancas, formando um C e esteios de sustentação na mesma cor, com dois cantos abertos, com fundo para o Rio Poty e frente para a Avenida Marechal Castelo Branco. Nessa grande área, serão implantados brinquedo teca, definindo cada módulo ao longo da avenida, por idade, por exemplo, crianças de 2 a 4 anos, de 4 a 8 anos e de 8 a 12 anos definindo qual o brinquedo para aquele módulo. Os brinquedos serão de madeira e fibra, no mais avançado estilo encontrados facilmente no mercado.
d)    – Em cada módulo do genial parque de lazer, para as manhãs de domingo, chuveirões para refrescar as crianças com banhos durante o lazer. Em cada área definida de brinquedos para as crianças, os pais poderão fazer piquenique aos domingos, sob a sombra das árvores. Em cada módulo definido para a brinquedo teca, a construção de um módulo comercial para a venda de lanches, sucos, refrigerantes, sorvetes, picolés e bombons aos visitantes do parque, gerando emprego e renda. Uma lanchonete padronizada em cada módulo ao longo da avenida.
e)     – Esse projeto trará para o longo da Avenida Marechal Castelo Branco, as crianças de todos os bairros, democratizando o lazer para crianças ricas e pobres, numa área de três quilômetros, sem similar no nordeste.
f)      – A Prefeitura de Teresina, dotará os parques de seguranças, salva/vidas, palhaços bem pintados para animar a criançada e assistentes sociais, isso, aos sábados e domingos, para atender as crianças e suas respectivas famílias, com um posto de atendimento em cada módulo de lazer. Coisa de primeiro mundo.
g)     – Para inaugurar esse parque, deve ser reservado uma manhã de domingo, com a presença da apresentadora de televisão Xuxa, que deverá sobrevoar a avenida de helicóptero e pousando no pátio da Assembléia Legislativa, local onde será cortada a fita de inauguração, com a presença de autoridades e o povão e suas famílias. Anotem para conferir.  
 
 
 
PROJETO – 02
 
TERESINA EXIGE A CONSTRUÇÃO DE UMA GRANDE ÁREA DE LAZER PARA A JUVENTUDE E PARA O POVÃO, QUE HUMANIZE A NOSSA CIDADE, NOS DANDO ORGULHO DE SERMOS TERESINENSES, NATURALMENTE QUE DANDO ÀS MARGENS DO RIO POTI, O NOSSO GRANDE POINT TURÍSTICO DE NOSSA CAPITAL. A HORA É ESSA. VAMOS OUSAR!
a) – A população de nossa capital, especialmente a nossa juventude, ainda prescinde de áreas de lazer e turismo que lhes dê orgulho de ser teresinense. Ora, as capitais mais famosas do mundo como Paris que tem o Rio Sena e Londres, que possui o Rio Tâmisa, os aproveitam para o mais belo lazer de turismo nas margens e dentro do seu leito.
b)– Ao longo das Avenidas Cajuína e Raul Lopes, compreendendo o trecho entre a Ponte Wall Ferraz e a ponte da Primavera, passando pela ponte Estaiada, podemos criar, ousar e encher de orgulho o teresinense com o projeto que agora vamos delinear:
01 – Entre a Poticabana e a ponte Wall Ferraz a primeira etapa dessa grande obra que compreenderá no seguinte: será o Poti Praião, que consistirá no seguinte:
02 – Projeto aproveitando a arborização existente de forma urbanística e até plantando mais árvores, como Ipês de todas as cores, amarelos, roxos, brancos etc., trilhas para caminhada, campos de futebol de areia, volley de praia, foot-volley, restaurantes estilizados ao longo da avenida em Palhoções gigantes de tijolo madeira e palha, no estilo clássico para abrigar os restaurantes nobres da cidade, oferecendo a cada empresário os recursos junto ao BNDES para a sua construção, com contrato de 10, 15 ou 20 anos de locação grátis.
03 – Chuveirões com água a ser armazenada de poços tubulares, limpa e sem contaminação, para refrescar os banhistas.
 
´
04 – Área para exposição de vendas de produtos artesanais, como acontece nas cidades praianas, divulgando o nome e valor do artista piauiense, gerando emprego e renda.
05 – No lago, ao lado da Ponte Wall Ferraz e à margem da Avenida Cajuína, aumento do nível estático da água do lago, para a utilização de pedalinhos para passeios noturnos e nos finais de tarde.
06 – Ao lado da ponte Wall Ferraz, com frente para o Teresina Shopping, a construção de um Hotel de cinco ou mais estrelas, projeto esse que deverá ser oferecido à iniciativa privada, prioritáriamente, a um grupo piauiense, por exemplo: o grupo R. Damasio, com recursos a serem adquiridos junto ao BNDES.
07 – Próximo da Poticabana e do Teresina Shopping, aproveitando a bela arborização existente, construir sem alterar a beleza da natureza, preservando o parque ali existente, uma área que será denominada de JARDIM DOS NAMORADOS, com bares e lanchonetes estilizados no mesmo padrão dos restaurantes de tijolo, madeira e palha, na margem da Avenida Cajuína, para atender aos visitantes, a serem construídos pela iniciativa privada e contrato definido em anos de uso. Esse Jardim dos Namorados como foi feito na Bahia por Antônio Carlos Magalhães, será todo ele com bancos de madeira, gramados bem cuidados, floricultura e casa de venda de revistas e jornais, com uma vantagem, policiamento a partir das 18 horas até as 2 horas da manhã, para a tranqüilidade dos jovens que ali freqüentarão.
- 08 – A Poticabana que pertence ao Governo do Estado, se discutiria se seria recuperada e aberta ao público, bem como recuperada a sua piscina de ondas para o lazer de banhos aos domingos como antigamente. A área reservada para shows seria preservada para grandes eventos com artistas nacionais e estrangeiros, naturalmente que, com um novo projeto numa espécie de teatro aberto para grandes shows.
- 09 – Saindo da Ponte Juscelino Kubstchek, desceríamos em direção à ponte da Primavera, com novos e arrojados projetos. Vejamos:
- 10 – Ao lado da Poticabana no leito do Rio Poti, seria construída uma passarela, que levaria a um restaurante flutuante redondo, construído em madeira nobre e polida com cobertura de palha de carnaúba, com uma área interna refrigerada e uma aberta, com platô no mesmo nível da Avenida Raul Lopes, para facilitar a ligação dos banheiros com a rede de esgoto. Esse restaurante será denominado de CABEÇA DE CUIA 1 – terá iluminação feérica, se destacando em beleza e luminosidade.
-011 – Ao lado do Riversid Shopping, também no leito do rio, no mesmo estilo, seria construída uma Boite denominada de CABEÇA DE CUIA 2 – com o mesmo projeto de madeira e cobertura de palha, redondo e sem fugir dos padrões do Cabeça de Cuia 1, embelezando o leito do rio com iluminação feérica se destacando também em beleza e luminosidade.
012 – Para esses dois projetos do CABEÇA DE CUIA, seria oferecido ao setor empresarial o projeto a ser seguido, bem como os recursos necessários à sua construção junto ao BNDES, com apoio da Prefeitura de Teresina.
013 – Essas pequenas palhoças que ficam na frente do shopping, serão substituídas por projetos arrojados de arquitetura e embelezamento, no mesmo estilo dos restaurantes definidos para a margem da Avenida Cajuína na primeira etapa do projeto. Nada fugirá do padrão definido pelo Projeto da Prefeitura de Teresina. Esses restaurantes poderão se prolongar pela margem ribeirinha da Raul Lopes até o encontro com a Ponte da Primavera.
-014 – Antes da ponte estaiada, fazer uma pista de Kart com arquibancada, para inserir Teresina, no projeto nacional de Kart, para que participemos de competições nacionais e estrangeiras. Algo inédito no Piauí.
- 015 – também ao longo das margens do Rio Poti, na Raul Lopes que compreende ao trecho entre o Shopping Riversid e a ponte da Primavera, quadras de Tenis, Volley, Basquete, futebol de salão, aberto ao público, como área de opção para práticas esportivas.
016 – Para alavancar o turismo nos rios Poti e Parnaíba, exigir das linhas de ônibus que servem a capital, a compra de barcos refrigerados, para o trecho náutico entre o Teresina Shopping e Timon, no vizinho estado do Maranhão, dando inicio aos passeios turísticos, inclusive com barcos fechados e abertos, como se vê no Rio Sena em Paris. Lembramos que o Rio Poti, também pode servir de competições náuticas diversas, desde que as federações assim pensem a partir do campeonato de remo. 
        
 
J U S T I F I C A T I V A S
 
Analisando técnicamente esses dois mega projetos das margens do Poti, do lado da Marechal Castelo Branco e do outro lado nos trechos que compreendem as Avenidas Cajuína e a Raul Lopes, os recursos a serem aplicados não serão vultosos, pois as obras de peso financeiro, serão construídas pela iniciativa privada, com opção de exploração comercial dos respectivos projetos.
Com a definição e construção dessas duas obras, voltadas mais para as crianças de um lado e do outro, para assanhar a juventude, acreditamos que o conceito de Teresina vai subir de regular ou de bom, para Ótimo. Vai causar impressão arrojada junto a população da capital. Teresina há muito clama por esses dois projetos que mudarão a imagem de nossa capital para o conceito de cidade moderna e avançada, com opção de visitação turística. Isso está nos faltando há muito tempo, mas a classe política que governou essa capital por muitos anos não teve essa preocupação, sensibilidade e criatividade.
Precisamos ousar para poder figurarmos no cenário de modernidade das grandes capitais do nordeste, como uma capital que se preocupou com a humanização de seus espaços, para atender aos reclamos de nossas crianças, juventude e da família como um todo, marcando presença no conceito de povo civilizado e avançado.
ESPECIAL:
UMA PROPOSTA PARA O FUTURO
Um grande espaço cultural pode ser construído, com no mínimo 150 metros de altura, no centro da Avenida Frei Serafim, entre a ponte do Poty e a Rua Goiás, com arcos laterais, túnel artificial em concreto, para a passagem de veículos no sentindo zona leste e centro, ficando o platô acima, servindo de estacionamento, com a frente para a zona leste, com elevadores panorâmicos, salas de eventos para congressos e exposições de artes, cinemas, restaurantes panorâmicos, teatros e salas em andares outros, para médicos, advogados etc. O Centro Cultural Integrado de Teresina, terá projeto de OSCAR NIEMAYER, podendo ser traçado no formato de “ T “de Teresina, e será um dos marcos de nossa capital, como é o Elevador Lacerda em Salvador, Cristo Redentor e o Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro, podendo ter um bondinho saindo da parte traseira do Espaço Cultural, passando por cima da Igreja de São Benedito e com platô turístico com restaurantes e área de lazer, em Timon, no Maranhão. Esse projeto pode ser factível com a venda das salas e espaços nele contidos. Podendo também ser construído pela iniciativa privada com apoio do município.
 
 
         Teresina, 17 de fevereiro de 2012
 
Jornalista Tomaz Teixeira
Contato (086) 9981-5007.
Tomaz007@ig.com.br
Tomaz007@hotmail.com.br





23/09/2017 - 21h13min
O boicote dos desesperados